Andrea Doria, do disco Dois, da Legião Urbana, é uma das minhas músicas preferidas, quando estou em dias de filosofar (se me entendem). Andrea Doria, é muito simbólica, e talvez por isso, seja difícil ter uma interpretação correta. Vou colocar abaixo, um pequeno resultado de pesquisas que encontrei, e após, a letra com interpretação:

Andrea Doria: é a idéia de um naufrágio, e é mesmo um navio naufragado. É um diálogo com alguém forte e que desabou , mas termina pra cima, porque a gente tem toda a sorte do mundo. Veio de uma conversa com a Luciana (mãe do Bi Ribeiro) e com a Tetê Tillet no Crepúsculo de Cubatão, que estavam deprimidas, e de uma idéia do Bonfá. A história do naufrágio é a seguinte: Andrea Doria - A Grande Dama Do Mar - era um grande barco super luxuoso (tipo um Titanic da vida) que, em 1951, fez sua viagem de estréia dirigindo-se a Nova Iorque. Entretanto, no meio da noite, Andrea Doria entrou numa densa neblina e o capitão, contrariando os procedimentos que deveria tomar nessa situação, continuou navegando em alta velocidade. Um outro barco (Stockholm) ia na mesma direção, porém em sentido contrário. O Stockholm ainda não tinha entrado na neblina quando o radar indicou um "objeto" próximo a ele. Como não enxergava nada à sua frente, continuou seu curso. O capitão do Andrea Doria achou que o sinal no radar fosse um barco pescador, já que não via luz alguma de outro barco e resolveu passar ao lado dele por puro exibicionismo... Quando os tripulantes dos dois navios viram o que estava acontecendo, tentaram evitar a tragédia, mas era tarde e "A Grande Dama Do Mar" acabou afundando, matando 52 pessoas.

A história do Navio, não se encaixa totalmente com a música, Renato deu entrevistas e diz pouco sobre a música, o que ele disse, é o que eu concordo, e segue-se abaixo, a sua interpretação: 

Às vezes parecia
Que de tanto acreditar 
Em tudo que achávamos 
Tão certo...

Teríamos o mundo inteiro
E até um pouco mais 
Faríamos floresta do deserto 
E diamantes de pedaços 
De vidro...

A música retratam dois jovens. Uma mulher, amiga talvez, e o homem, Renato possivelmente. 
A música mostra o dialogo desses jovens mostrando esse lado que muitos destes buscam: Mudar o mundo. Fazer a diferença. A primeira parte, nos mostra que foi fracasso o que ele queria, já a segunda, nos completa o pensamento primário, dizendo que eles queriam fazer "milagres", queriam fazer o que é impossível, pelo possível. Queriam fazer a diferença. 

Mas percebo agora
Que o teu sorriso 
Vem diferente 
Quase parecendo te ferir...  

Ele percebe indiferença, que há um sorriso que não é verdadeiro, não é um sorriso alegre, o que é diferente do que já foi um dia (tristeza talvez).

Não queria te ver assim
Quero a tua força
Como era antes
O que tens é só teu
E de nada vale fugir
E não sentir mais nada...

Ele diz aqui, como algo sincero, um pensamento amigável, que queria sua amiga como antes, queria ela forte. Diz que o que ela tem é somente dela, e não de outros, ou de uma sociedade. Aconselha ela à não fugir (da realidade talvez) e não sentir mais essa tristeza. 

Às vezes parecia
Que era só improvisar
E o mundo então seria
Um livro aberto...

Aqui, vemos o despreparo que eles tinham para a sociedade quando crescessem. 
Ele diz que sentia que era só improvisar e o mundo seria um livro aberto, ou seja, era somente fazer algo facil e não "reto" (combinado) que o mundo se abriria e se tornaria bom e perfeito...

Até chegar o dia
Em que tentamos ter demais
Vendendo fácil
O que não tinha preço...

Essa parte completa a anterior. 
Eles se sentiram despreparados para o mundo, até chegar o dia em que tentaram ter mais, vendendo fácil, o que não tinha preço, mostrando o lado materialista do mundo. Quantas coisas não vendemos mesmo não tendo preço? Momentos, memórias... Apenas por termos? Isso envolve o capitalismo e o consumismo (temas alias, sempre abordados por Renato).

Eu sei é tudo sem sentido
Quero ter alguém
Com quem conversar
Alguém que depois
Não use o que eu disse
Contra mim...

O "tudo sem sentido" ao qual se refere aqui, deve ser o ato de ser materialista (completando a ideia anterior). 
Nessa parte, mostra o quão difícil é encontrar alguém verdadeiro, nesse mundo influenciável que a mídia nos trouxe. "Quero ter alguém/Com quem conversar/Alguém que depois/Não use o que eu disse/Contra mim" Essa frase mostra o ponto de falsidade que ele vê nas pessoas, provavelmente para dizer isso, deve ter se desiludido com alguma "amizade". Renato tratou isso como "um mundo de hipocrisia, de mentira...".

Nada mais vai me ferir
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada
Que eu segui
E com a minha própria lei...

Essas palavras, provavelmente dela, mostra que ela já se acostumou com essa estrada que seguiu, que ela encara como negativa. Não será mais ferida talvez por já ter se acostumado, e deveria, afinal, essa estrada, ela mesma criou, afinal, seguia apenas as próprias leis (rumos).

Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais
Como sei que tens também...

Aqui, como uma palavra de esperança e consolo, para ela, que sempre o ajudou (quando estava bem), ele diz que tem tudo o que ficou, e que tem sorte, assim como ela. Isso é interessante de ser dito. Sempre temos "sorte". Por mais negativa que a situação seja, sempre tem alguém pior que o pior. 



(Coloquei esta versão, porque é uma das melhores apresentações).
Postado e blogado por: Eduardo Rezende


37 comentários to "Interpretação: Andrea Doria"

  • Gostei da interpretação, mas acho que a razão de intitular a música com o mesmo nome do SS Andrea Doria é apenas para centralizar a ideia de naufrágio (como algo que foi tentado e não deu certo, naufragou), até pq a música é baseada na verdade em "E La Nave Va" que, por sua vez, é baseado na história que você descreve.

  • Obrigado pelo comentário e elogio. rs. Andrea é bem interessante de sera analisada.

  • gostei muito e uma otima analise obrigado me ajudou muito *-*

  • Muito obrigado querido (a0 Anônimo! Volte sempre, e seja sempre bem vindo (a)

  • Para mim, o título "Andrea Doria" se relaciona mais diretamente com a música:

    "Às vezes parecia
    Que de tanto acreditar
    Em tudo que achávamos
    Tão certo...

    Teríamos o mundo inteiro
    E até um pouco mais
    Faríamos floresta do deserto
    E diamantes de pedaços
    De vidro..."

    "Às vezes parecia
    Que era só improvisar
    E o mundo então seria
    Um livro aberto..."

    Do meu ponto de vista, esses versos se relacionam com a história do navio, com o momento em que o piloto se depara com a neblina, mas insiste em prosseguir, ignorando os riscos e os procedimentos corretos e também seu ato exibicionista. 'De tanto acreditar', o eu lírico da música adentrou a 'neblina', deixou de enxergar a verdade e passou a ver o mundo da maneira que ele gostaria que fosse, sentindo-se invencível, inatingível.

    "Mas percebo agora
    Que o teu sorriso
    Vem diferente
    Quase parecendo te ferir...

    Não queria te ver assim
    Quero a tua força
    Como era antes
    O que tens é só teu
    E de nada vale fugir
    E não sentir mais nada..."

    "Até chegar o dia
    Em que tentamos ter demais
    Vendendo fácil
    O que não tinha preço..."

    E essas partes, relaciono ao momento em que todos percebem o que está prestes a acontecer, mas já não há mais nada a ser feito.

    É realmente brilhante essa maneira com que o Renato conseguiu fazer com que suas músicas tivessem vários sentidos, todos consistentes e válidos por si próprios, além das relações, dessas espécies de metáforas que ele aplicava às letras. Não é a toa que sua música vem conquistando gerações.

    Parabéns pelo blog ^^

  • Parabéns pelo blog ! Sou fã do Legião e gostei muito do blog e da sua interpretação ! Na minha opinião, essa é a música mais marcante do Legião ! Queria deixar minha modesta interpretação sobre ela:

    Acredito que Renato compara uma relação amorosa com uma viagem de navio, no caso a do S.S. Andréa Dória. E no começo dessa relação, assim como deve ter sido também no momento que o navio zarpou, tudo era um sonho lindo, o sonho de uma viagem feliz, eles se sentiam poderosos com o amor, exatamente como se sentem os apaixonados... ("florestas de deserto" - "diamantes de pedaços de vidro"). Achavam que poderiam superar dificuldades no relacionamento ("que era só improvisar...". Mas com o tempo, o relacionamento, a paixão foi acabando e aqueles que eram amantes se tornaram indiferentes um ao outro ("teu sorriso vem diferente"). Um deles (ele ou ela) não se conforma com isso e queria que tudo fosse como era antes (" não queria ter ver assim, quero a tua força como era antes...". Ele ou ela se lembra que eles tinham construído coisas tão preciosas em comum (uma vida em comum, sonhos, companheirismo, amizade, planos, momentos, lembranças...), mas que, no decorrer do relacionamento foram esquecidas ou trocadas por coisas sem valor (talvez por coisas materiais ou por outro relacionamento, aventuras...), exatamente, quando a letra diz "...vendendo fácil o que não tinha preço...". Depois, ele ou ela revela sua decepção ao ser agredido (a) exatamente com aquilo que confidenciou para a pessoa amada ! ("alguém que depois não use o que eu disse contra mim ". Na parte final, talvez seja a fala da outra pessoa reconhecendo seu erro que culminou para o fim do relacionamento (um dos vários erros cometidos por alguém que é intransigente). E que de tanto sofrer por cometer esses erros e pelo jeito "cabeça-dura", acabou acostumando e agora não mais o (a) faz sofrer. ("nada mais vai me ferir... já me acostumei com a estrada errada "). No final, ele ou ela faz um balanço do que restou do relacionamento (talvez uma amizade, talvez amor próprio, talvez um filho) e conclui que tiveram sorte até demais !!! Um grande abraço.

  • Ótimos pontos! Realmente, muito interessante seu modo de vista. Seja sempre bem vindo. E antes de mais nada, agradeço aos elogios. Até o breve!

  • Gostei muito, Renato russo foi um grande homem e vem conquistando varias gerações, atualmente quando falam em musica brasileira as pessoas acabam esquecendo que já tivemos musicas boas, pena mesmo é ser tão real aquela ideia de que os bons morrem cedo.. E, por esse motivo, devemos aproveitar os que ainda estão vivos, pois existe sim muitos cantores bons ainda, mas o problema é a falta de divulgação dentro do pais.. Infelizmente nao tive o privilegio de ver Renato Russo vivo, pois ele se foi antes de eu nascer, mas sempre foi um cantor presente em minha vida e sempre me identifiquei com suas musicas..

  • Realmente, é muito triste termos que assumir isso, mas desde então, foram poucas as músicas boas que nos consagraram à geração.
    Concordo com você, e agradeço muito. Volte sempre aqui no blog!
    Que essa voz jamais morra, e esses ouvidos sempre consigam ainda, ser mediadores de músicas boas.

  • Deixa eu ajudar com essa. Quando entrevistei o Renato para o meu livro, Letra, Música e Outras Conversas, perguntei especificamente sobre Andrea Doria. Como vou relançá-lo em dezembro fiz uma revisão ontem desse trecho. Separei pra vocês:

    "É a mesma coisa de "Será", (diz com uma voz empostada) um jovem que quer mudar o mundo que está horrível. Uma coisa que a Legião sempre tem. Uma menina da MTV colocou muito bem: parece muito um livro chamado "Os meninos da Rua Paulo" . Se lembra do Nemetcheque? Era um menino que era todo bonzinho, que queria fazer tudo direito e sempre tomava na cabeça. Ela acaba morrendo de pneumonia. Seria um personagem como ele que estaria cantando essas músicas. É um jovem que acredita na virtude, em fazer as coisas corretamente, de acordo com as regras e fica batendo contra a parede porque esse mundo não funciona. Acho que "Andrea Dória" coloca bem a questão da juventude, de ter sonhos, fazer planos e esbarrar nesse mundo de hipocrisia, de mentira, do capitalismo, de consumismo e a gente fica sem saber o que fazer. "Andrea Dória" é o nome de um navio. A ideia era fazer uma imagem meio "E la nave va" e tem coisas que talvez nunca me lembre porque entraram na letra. Na hora de escolher o título da música a gente faz um monte de mitologias para a coisa ficar legal. "Andrea Dória" é um navio que afundou, a ideia era pra ser: "naufrágio". Na canção "Andrea Dória" é uma menina. O que ligou a música toda foi uma conversa que eu tive com a Luciana, mãe do Bi, e com a Tetê no Crepúsculo de Cubatão. As duas estavam reclamando da vida ser muito difícil e a Tetê estava meio deprimida. E eram coisas que eu sentia também. Nem sempre adianta ser bom, ser honesto. Peguei essa situação inicial e fiz a música que é um diálogo entre uma menina que era cheia de vida, alegria e planos e que sempre me deu força e que nesse instante está derrubada. Sou eu falando pra ela. Tem coisas que ela fala pra mim e tem coisas que eu falo pra ela: "Às vezes parecia que de tanto acreditar em tudo que achávamos tão certo / teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais". É aquela coisa dos planos, o mundo está horrível mas nós vamos conseguir. Só que no meio do caminho: "Mas percebo agora que o seu sorriso vem diferente / quase parecendo te ferir". Quando se entra no mundo adulto se não tomar cuidado deixa entrar o cinismo, fica "jaded". A música é uma conversa em cima disso: "Olha, realmente a coisa é difícil, mas não é por aí." E termina justamente falando: "A gente tem toda a sorte do mundo", falando sem especificar, que bem ou mal, a gente não é favelado, não morre de fome. "Sei que tenho sorte, como sei que tens também". Uma das grandes temáticas das letras é essa, só que sempre nas pequenas situações, colocadas de um certo jeito que a pessoa interpreta de outra maneira. Sempre tem uma historinha, sempre tem uma mitologia."

    Espero ter ajudado no debate

    Leoni

  • Os videos do Renato são sempre muito emocionante.
    Da uma tristezinha ver que ele infelizmente não esta
    entre nos( ...os bons morrem cedo, cedo demais.).

    Estou adorando muito as suas analises.
    Sobre essa musica, particularmente e
    tbm uma das minhas preferidas.

    Qdo eu estou muito deprê,(dificil de acontecer, mas acontece..rs)
    eu escuto no inconsciente o Renato
    cantando" ...Não queria te ver assim
    Quero a tua força
    Como era antes
    O que tens é só teu
    E de nada vale fugir..."

    Respiro fundo, e começo a tentar me reerguer.
    Essa parte sempre me ajudou/ajuda muito.
    Quem e que não tem umas frases pra se levantar das cinzas!! ;)

    Deixo aqui apenas meu desabafo.
    Abs Andrea

  • Ótimo texto, e realmente, nos mostra como Renato, de uma forma ou outra, em nosso inconsciente consegue ser a voz que clama dentro de nós por algum sentimento ou ação. Ótimo comentário e ponto de vista. Espero e aguardo ansiosamente todos os seus desabafos diante das músicas. Obrigado, até mais!

  • Como lhe disse/escrevi, coloquei vc em "meus favoritos". Não estarei participando toda vez nos post, porem quero que vc saiba que eu estarei SEMPRE no seu excelente blog, tanto para ver as novidades mas tbm para rever. Abs Andrea Benaion

  • No livro Renato de A a Z, tem uma parte em que o Renato fala que a personagem de Andrea Doria é a mesma de Ainda é cedo, a tal paixão mal resolvida que ele teve, ele inclusive chega a dizer que não gostaria de vê-la na sua frente de novo! Alguma história forte rolou entre eles... Quem tiver interesse leia o livro depois, é bem legal!

  • Realmente querido leitor.
    As postagens quando não são muito claras, são recorridas ao livro, que tira todas as dúvidas dos comentários próprios do autor das letras mais fantásticas da música brasileira.
    Renato era um gênio, e o livro mostra isso de todos os ângulos.

  • OLA, EDUARDO VOCE PODERIA COLOCAR A INTERPRETAÇAO DAS MUSICAS VENTO NO LITORAL E VAMOS FAZER UM FLIME.

  • Sim, como imagino, você deve saber que sigo a ordem alfabética dos nomes das músicas, e logo a letra V será analisada. Obrigado!

  • O que eu entendi que a musica refere-se a um naufragio , pq o naufragio (é o amor ) o mar e a estrada (são caminhos ) os navios ( pode ser o homem e mulher ) que vinham em direção certa a Luz ( poderia ser um sinal que um refletia ao outro para poder se ver na neblina para que podessem de ver se encontrar , enxergar um ao outro ...) andrea dorea a dama do mar o outro barco o resgate do amor talvez,mais andrea dorea não quis entender o sinal ou aceitando digamos o amor do outro ..acabou nafraugando o amoro no caso ...resumindo era um encontro que tinha tudo pra dar certo mais com a ignorancia de uma das partes não aceiou o sinal deste amor ,no caso a dama do amor (o amor) acabou naufrando

  • O que eu entendi que a musica refere-se a um naufragio , pq o naufragio (é o amor ) o mar e a estrada (são caminhos ) os navios ( pode ser o homem e mulher ) que vinham em direção certa a Luz ( poderia ser um sinal que um refletia ao outro para poder se ver na neblina para que podessem de ver se encontrar , enxergar um ao outro ...) andrea dorea a dama do mar o outro barco o resgate do amor talvez,mais andrea dorea não quis entender o sinal ou aceitando digamos o amor do outro ..acabou nafraugando o amoro no caso ...resumindo era um encontro que tinha tudo pra dar certo mais com a ignorancia de uma das partes não aceiou o sinal deste amor ,no caso a dama do amor (o amor) acabou naufrangando o amor que tinh a tudo pra encontrar no caminho um salvar o outro da neblina(solidão) do frio..

  • Olá ,
    Adorei tua interpretação, passei por um momento tempos atras em que a tua fala consegui vê q o que entendi na época faz muiiito sentido..
    Abraços.
    L. Pinheiro

  • Linda essa musica, passei por momentos muitos
    difíceis e essa musica me ajudo muito, bom para falar a verdade todas as letras do Renata são fabulosas e elas tem sim o poder de ajudar pois as letras foram escritas por um gênio por alguém que realmente escrevia o que passara...
    Viva ao Renato Russo

  • Admiro o trabalho do Renato, mas como pessoa foi um lixo humano...

  • Essa música é perfeita

  • Cleide R.D.R
    Ao cara aí de cima que comentou isso.
    Não faça com os outros o que você não quer que seja feito com você.
    Não diga que alguém foi um lixo , ou que é um lixo, você conviveu com ele? estava lá nos momentos em que ele talvez precisou de alguém?
    pq pra falar isso nem com toda intimidade do mundo eu teria coragem.
    O íntimo é um lugar que você nunca poderá entrar a não ser no seu mesmo.
    Vc gostaria de ser um lixo?
    tenho certeza que não !!
    "E há tempos O encanto está ausente E há ferrugem nos sorrisos Só o acaso estende os braços A quem procura Abrigo e proteção..."
    vc fez merecer esses versos
    ninguém se importa com o próximo, e as pessoas estão com o sorriso enferrujados.

    VIVA RENATO
    VIVA LEGIÃO
    PARABÉNS PARA O BLOG.

  • Renato se foi, mas deixou essas fantásticas obras para serem eternizadas ! Parabéns pelo trabalho feito nesse blog, realmente podemos ver que o sentimento Legião Urbana jamais morrerá ! Força Sempre !

  • Sempre interpretei a música como uma pessoa que estaria com depressão, apático, desistindo da vida e de novas experiências ,possivelmente sobrevivente de uma tentativa de suicídio ou pode ser uma analogia a uma personalidade sua que estaria morrendo ao se conformar por viver com frieza e apatia ,não podendo assim se magoar novamente .
    Promovendo um diálogo consigo mesmo, com uma versão sua do passado ,antes de se deixar levar pelas armadilhas da sociedade que a deixaram frustrada e decepcionada .

    Acho que a música ilustra a passagem para o mundo adulto .
    (Do início até diamantes de pedaços de vidro)fala dos idealismos que tornavam o mundo mais bonito e tudo parecia possível ,fala da vontade de viver, de fazer a diferença ,mas que com o decorrer do tempo tornaram-se frustrações.
    (Ele faz citações parecidas em outras músicas " poderíamos mudar o mundo,quem roubou nossa coragem ..." ) ("Mas percebo agora que o teu sorriso vem diferente ,quase parecendo te ferir...") Acho que esse trecho se refere ao amadurecimento frustrado,aderindo uma postura socialmente correta ,uma máscara de sorriso falso ,que ele conhecendo a pessoa sabe que deveria feri-la por dentro. Neste trecho vejo o diálogo consigo mesmo, conversando com o passado tentando resgatar a coragem que tinha de ir contra o padrão imposto .
    ("Não queria te ver assim
    Quero a tua força
    Como era antes
    O que tens é só teu
    E de nada vale fugir
    E não sentir mais nada...") Acho que se refere a vida ,dizendo que o que tens é só teu , numa tentativa de dizer para não deixar passar a oportunidade de viver de verdade e não só existir ...acho que essa é a chave da música , ele fala da diferença entre viver e existir, as expectativas da juventude e a realidade da vida adulta. A pessoa em questão perdeu a coragem e a força de viver e está existindo com o sorriso que parece feri-la.

    Aqui vejo claramente as questões do materialismo e necessidades do mundo adulto que nos fazem abandonar o que parecia ser como parte da essência na juventude .

    Até chegar o dia
    Em que tentamos ter demais
    Vendendo fácil
    O que não tinha preço...

    Tentamos ter demais ,acabamos trocando momentos por trabalho para suprir necessidades superficiais impostas pelo mundo adulto.
    Eu sei é tudo sem sentido
    Quero ter alguém
    Com quem conversar
    Alguém que depois
    Não use o que eu disse
    Contra mim...

    Aqui acho que se refere ao medo de se abrir com as pessoas e parecer infantil ou receber qualquer tipo de julgamento.Sente falta do relacionamento que tinha com as pessoas ,onde podia se expressar com liberdade .

    E por fim se conforma ,que vivendo assim desacreditado não será mais ferido e já se acha uma pessoa de sorte por isso . (Acreditar que é capaz de dominar suas emoções, acreditar que é capaz de ver as pessoas e assim não se permitir magoar por elas )
    Nada mais vai me ferir
    É que eu já me acostumei
    Com a estrada errada
    Que eu segui
    E com a minha própria lei...

    Tenho o que ficou
    E tenho sorte até demais
    Como sei que tens também...

    Não sei, só sei que essa música sempre me emocionou muito, Renato era genuinamente incrível e sua arte é inigualável , generosa, permite que cada um enxergue as coisas como seu coração bem quiser e entender. Amo Renato Russo ! Essa e o livro dos dias são as mais lindas letras ,em que ele desnuda a própria alma ... na minha opinião.

  • Bom sou fã dessa música
    Para mim Andrea Doria e uma emoção que todos temos em determinando momento da vida,um conversa com a batalha de escolhas que não tiveram um resultado próspero deixando marcas de partidas,porém que sempre vai deixar algo um escudo que usamos conforme os erros um modo de querer gritar bem alto nem que seja por um instante : " NADA MAS VAI ME FERIR "

  • vim aqui depois de ouvir o "Urbana Legion" tocando esta música:
    https://www.youtube.com/watch?v=MfTUycr9X5c

  • Realmante não sei o que o Renato estava pensando, ou qual o seu estado de espírito quando compôs essa letra, mas é algo toca no fundo da alma e do coração. O que me inspira a seguir sempre em frente apesar das interpéries da vida.


    "Não queria te ver assim
    Quero a tua força
    Como era antes
    O que tens é só teu
    E de nada vale fugir
    E não sentir mais nada..."

  • OI Eduardo, sou a Cíntya brasiliense que mora no interior de SC e AMA Legião, tanto e a ponto de escrever a monografia de graduação sobre o Rock como uma via de expressão, como UMA FORMA DE DIZER E DIZ e citar e recitar por muitos momentos Renato como um tradutor do que vai à nossa alma. Foi uma escrita MUITO DOIDA baseada em discografia ao invés de bibliografia, o que na época (1998), era escassa. Amei tua interpretação de Andrea Doria, meu olhar, sentir talvez, perpassa pela mesma via. "E que a arte nos aponte uma resposta mesmo que ela não saiba e que ninguém a tente complicá-la pois é preciso simplicidade para fazê-la florescer"... taí, outro cara interessante, Oswaldo Montenegro, vale a pena espiar. Um beijo amei tuas colocações

  • Caramba... Super interessantes os pontos de vista! Adorei! Vale à pena lembrar também que o navio naufragado também portava várias obras de arte. Juntando todos os contextos aqui citados, isso acaba sendo um plus para todas essas reflexões. Um abraço a todos.

  • Este comentário foi removido pelo autor.
  • Este comentário foi removido pelo autor.
  • Excelente! Muito esclarecedor. A poesia me levou para outro caminho, mas acho que é justamente isso que o Renato buscou! Que a música fosse ampla e dialoga-se com várias realidades diferentes... Na minha interpretação... duas pessoas muito confidentes estão conversando e que uma delas sofre com o HIV e com a solidão que ela mesma se impusera. Fala do passado e de como as coisas pareciam fáceis (faríamos diamantes de pedaços de vidro) e que de repente tudo mudou mas o amigo não aceita (não queria te ver assim, quero a tua força como era antes)... enfim a música toda me levou a esse caminho, todos os versos me fazem visualizar essa imagem... mas adorei seu comentário!!!

  • Ainda é cedo não feito pra amiga dele Ana Claudia?? Eu pensei que eles eram amigos e sempre foram até sua morte...

  • Faço minha as suas palavras é o que acho também...👏👏👏👏👏👏

  • Capitalismo e consumismo????
    Renato se auto declarou não uma mas várias vezes capitalista.
    Ele sempre criticou os "revolucionários" inclusive geração Coca cola é uma ode perfeita ao jovem esquerdista caviar de hoje.

    Em lá Maison dieu, ele cita generais e um exército de merda, mas antes também cita a revolução de merda.

    Parem de enfiar o viés ideológico de vcs goela abaixo nas pessoas.
    Sejam isentos, sobretudo nas obras alheias.


    Vender fácil o que não tinha preço se refere a desvalorizar um sentimento em detrimento de outro sentimento. Ou por outra coisa qualquer. Não necessariamente o dinheiro o capital.

    Faça-me o favor.

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!