Muitos Legionários, assim como eu, sempre dizem: "Cada música da Legião, é uma fase do Renato Russo e da Banda...". Definitivamente, "Índios" é uma das que mais podemos ter a plena certeza disso.
"Índios", escrita com aspas, para nos mostrar a boa e grande ironia inteléctica de Renato Russo, é uma obra que fala de falsos índios. Fala dos "índios brasileiros" e não dos índios das Índias, que é o ponto chave da crítica.
A música fala da simplicidade e do grande impacto que muitas vezes temos quando nos deparamos com o que é diferente. O modo crítico, o estranhismo, a vontade de querer entender... Tais modos são expressados por Renato e nos deixa transparecer (ou melhor, nos deixa a certeza) de muitas coisas e hábitos que não mudaram. O fanatismo religioso, a vontade de querer se sair bem, o estar "acima" e o estar "abaixo" moralmente, economicamente e culturalmente.
Desculpem-me o longo texto, mas "Índios" é sem dúvida, a rainha das mais brilhantes letras:

Quem me dera ao menos uma vez
Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem
Conseguiu me convencer que era prova de amizade
Se alguém levasse embora até o que eu não tinha.

Essa parte, podemos observar que ele diz que gostaria de ter o ouro que lhe foi roubado por promessas mal-feitas, promessas essas, que foram conquistadas com falsas imagens de amizade. Não muito diferente do que foi feito com os índios, uma vez que vieram as Caravelas de Cabral, roubaram tudo o que era de nosso território mostrando um elo amigável, levando embora até o que eles não tinham, ou não tinham o conhecimento de que tinham.
Quem me dera ao menos uma vez
Esquecer que acreditei que era por brincadeira
Que se cortava sempre um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda.

Agora, podemos analisar pelos dois lados:
Renato como um "simples" (índio) não crendo que se usava como pano de chão, linho nobre e pura seda pelos orgulhosos que queriam esbanjar poder em tudo, desde o nome até o "pano de chão", quanto podemos analisar pelo "lado nobre" (Português), não crendo que os índios eram tão simples e "ignorantes" (ao seu ponto de crer),  de usar linho nobre e pura seda como pano de chão. Fica ao critério próprio, mas creio eu, que seja pelo "lado simples".


Quem me dera ao menos uma vez
Explicar o que ninguém consegue entender
Que o que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente.

Aqui, Renato diz uma coisa importantíssima para a sociedade.
O Futuro de hoje, não é o mesmo futuro de antigamente, pelo mesmo fato de que as pessoas, das mais simples às menos simples, são diferentes e pensam e agem diferentes daquela época.


Quem me dera ao menos uma vez
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
Fala demais por não ter nada a dizer.

Essa é a parte que eu realmente acho que não necessita de interpretação, porque é tão clara e obvia que podemos tirar a conclusão rapidamente:
Quem tem tudo, quer tudo e quer sempre mais. Não convence com o seu muito, e sempre acha que o seu "muito" na verdade é pouco, e como se não bastasse querer ter tudo, por se achar sem nada, fala demais por não ter nada a dizer. Mentes vazias.


Quem me dera ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente.

Interessante como Renato consegue colocar críticas em cima de dados.
Como seria interessante o mais simples e os mais necessitados, fossem vistos como os mais importantes e tivessem tanto a prioridade na saúde, educação e trabalho, quanto em economia, preocupação governamental e social. É esse pensamento, o que move essa parte. Renato quer dizer de forma irônica, que isso seria importante, e que deram espelhos. Espelhos esses, os trocados por portugueses. Espelho, simples objeto de caravelas para homens se barbearem e se verem, por preciosidades brasileiras de seus diversos meios, vendendo assim, por preços absurdos as novidades do momento em Portugal.


Quem me dera ao menos uma vez
Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
E esse mesmo Deus foi morto por vocês
Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste.

Renato Russo nessa parte fez a polêmica que ele sempre tanto amou.
Religião e catequização aos índios, que até então acreditavam que trovões, chuvas e crescimentos de árvores e fartura nos rios, eram frutos de deuses naturais.
Como uma pessoa, que até então acreditava que Deus era árvore, rio, pedra, pode começar à crer que Deus  ao mesmo tempo que é "um é três", e que esse mesmo Deus, foi morto por eles?
E então, Renato Russo mostra que o mesmo Deus que eles pregaram e continuaram pregando, é o mesmo Deus que ficou triste pela maldade deles, de cortar a inocência de seres que nada tinham culpa e que simplesmente viviam de seu modo próprio. 

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda
Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do iní­cio ao fim.

Essa é a parte mais curiosa da música:
Fala de Renato para leitor/ouvinte.
Renato realmente quis o perigo quando teve essa possível e real ideia de suicídio cortando seus pulsos ("até sangrei sozinho..."), e a causa disso, creio eu, é pelo que a música o tempo todo diz.
Renato Russo sempre, em todos os discos, manteve-se preocupado com a sociedade. E embora essa música não esteja em um dos últimos discos da Legião, podemos ver que ele do inicio ao fim e entender que assim como ele devíamos nos preocupar mais com a sociedade e com os mais simples. Pessoas simples, que deveriam ser sempre as primeiras em pensamentos, pessoas essas, que não tem nada, e não buscam o que já tem. Vivem para viver, e não por viver. 

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Creio que aqui, Renato fala desse deus (sim, minúsculo por ser o Deus deles, não Tupã ou qualquer outro).
Quem entende a cura pro vício de insistir nessa saudade de tudo o que ainda não foi visto, é Deus. É Deus quem entende esse "insistir nessa saudade", essa "vontade de suicídio". 

Quem me dera ao menos uma vez
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes.

Essa parte, complementa a que disse anteriormente, sobre a simplicidade.
Renato Russo, abusa de sua grande ironia dizendo que seria bom, acreditar em tudo o que existe, acreditar que o mundo em que vivemos (até agora citados a injustiça, mentira, intolerância religiosa e interesse), acreditar no fato de todas as pessoas serem felizes. Seria ótimo se a sociedade não tivesse se fechado nesse mundo egoísta de pessoas que sempre se convencem que não tem o bastante.


Quem me dera ao menos uma vez
Fazer com que o mundo saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz ao menos, obrigado.

Aqui, Renato fala de novo desse Deus. Porém, não é o mesmo Deus pregado pela Religião. É o Deus próprio, que não necessita de intolerâncias, brigas e igrejas. É o Deus que muitos esqueceram o nome e esqueceram que ele está em tudo, e mesmo assim nem lhe dizem obrigado. É o Deus que Renato acreditava. O Deus que não precisa da Religião pra existir. O Deus que é Deus, não o que é Igreja. 


Quem me dera ao menos uma vez
Como a mais bela tribo
Dos mais belos índios
Não ser atacado por ser inocente.

É mostrado aqui a mais verdadeira história.
Como seria bom, uma das mais belas tribos, dos mais belos índios, de saberes naturais, de saberes culturais passados de gerações, de conhecimentos da mata, dos rios e das aves, não serem atacados por serem apenas inocentes. Não serem atacados por simplesmente, serem diferentes.


Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda
Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim.E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Essa parte já foi analisada, mas acho importante dizer que eu creio que Renato tinha esperanças de algo melhor, porque ele esperava isso da sociedade e do país ("...O Brasil é o Pais do Futuro..." (1965 - Duas Tribos)), e creio que e essa saudade de tudo o que ainda não foi vista, é a esperança. É a crença do que existe agora, tendo em vista o futuro pela frente.


Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui.

Aqui, Renato finaliza a letra dizendo novamente sobre os espelhos... Deram os espelhos aos índios em troca de tudo. Ou seja: Deram coisas simples e sem valor, só que de grande valor e curiosidade aos índios, e em troca, pegaram coisas sem valor para os índios e de extrema importância e interesse para os portugueses.
Creio que Renato finaliza a letra com "
Tentei chorar e não consegui", querendo dizer, que mesmo cortando-se, mesmo não crendo nessa sociedade, ele continua tendo esperanças (tentando chorar), mas não consegue porque acaba, de certa forma, se conformando com essa situação. Ou até mesmo, finaliza com essa frase, mostrando que realmente, tem tanto nojo da sociedade, que acaba não conseguindo chorar por ela.

Espero que tenham gostado e peço as mais sinceras desculpas pela demora de postagem.
Meu obrigado, e muita Luz.


Analisado e interpretado por: Eduardo Rezende


93 comentários to "Interpretação: "Índios""

  • mto boa..

  • Amigo... interpretção muito boa... eu ja pensava mais ou menos isso... agora lendo a sua interpretação.. tenho certeza de que Renata era um homem com esperanças

  • Fico muito feliz de saber isso. Meu muito obrigado, e continue sempre participando do blog!! Conto com vocês! rs.

  • Muito boa interpretação, parabéns!.

  • Meu muito obrigado! Seja sempre bem vindo, continue sempre comentando! rs.

  • Cara, parabéns pelo Blog. eu estava à procura de um blog desse nível de interpretação.

    Obrigado.

  • Obrigado meu querido Anônimo!
    Meu blog sobrevive por justamente ter pessoas que contam com meu trabalho, e que confiam em seus gostos musicais. Obrigado!

  • Sempre imaginei que a parte dos espelhos era o seguinte:
    Ao olharmos no espelhos, nos vemos, então o "mundo doente" seria as pessoas que vivem nele, o tornando doente.

  • Realmente foi um ponto que sempre pensei ser...
    Mas ai, levando em conta o egoísmo e o interesse dos homens, julguei essa frase um pouco irônica e com uma pitada de "Cálice" do Chico. Ela nos dá justamente esse duplo sentido: O dar espelhos por troca, uma doença, o egoísmo, e o outro lado, de se olhar no espelho, e ver que você e a sociedade estão em um mundo doente.
    Obrigado, volte sempre!!

  • Nossa sua interpretação foi maravinhosa, parabéns.

  • Muito obrigado!! Volte sempre, espero que goste das outras também!!

  • A parte: Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
    Entenda Assim pude trazer você de volta pra mim...
    eu pensava que ele estava falando de Jesus (que sangrou sozinho) e que com o seu sacrifício pôde comprar novamente a humaniodade (assim pude trazer você de volta pra mim).

  • É um ponto curioso o que você citou. A música trata bastante a parte religiosa-cristã, e colocando-se Jesus nesses versos, fariam sentido e muito! Mas eu procurei videos, e encontrei aquele "Por toda a minha vida", e em um dos momentos, aparece Renato se cortando citando esses versos, e eu julguei isso como sendo realmente o ponto chave: Sendo os versos de sangrar, humanos, e não semi-divinos, porque a música lida com a primeira para a terceira pessoa, além da primeira para a humanidade em si.

  • essa musica é boa demais.meio triste,faz me vim na mente as imagens de uma tribo que vivia feliz até os malditos portugueses gananciosos,roubaram tudo que eles tinham..quando olho a minha volta,da vontade de ir para um lugar,onde eu caça-se minha própia comida e morar numa caverna.. onge de tudo e de todos "pelo menos lá sei que vou estar seguro"

  • Realmente meu querido leitor...
    O mundo não mudou nada... "Esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante!", como seria bom estarmos ainda com a inocência, a humanidade e a realidade antiga... Mas o mundo mudou e exigiu mudanças nas pessoas, nos seus atos, em tudo!
    É realmente angustiante ermos nossa realidade, mas infelizmente, ou felizmente, ainda podemos mudar isso. Começando com nós! Seja bem vindo, não se esqueça de participar do blog! Volte sempre.

  • "Quem me dera ao menos uma vez
    Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
    E esse mesmo Deus foi morto por vocês
    Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste."

    Eu não sei se nessa parte entendi bem sua interpretação, posso dar a minha? Ok, já dando, eu acho que o "entender como um só deus ao mesmo tempo é três" fala do deus unificado como o pai, o filho e o espírito santo. E o "esse mesmo deus foi morto por vocês" seja a crucificação de jesus cristo, porque nós humanos teríamos matado a encarnação de deus. Como entender isso? Pra os índios isso não fazia sentido (e nem pra pessoas de outras religiões ou ateus e agnósticos).

  • Achei interessante seu ponto, muito mesmo, mas o que quis dizer, é o fato de Deus ser tão diferente. Em todos os lugares, em cada esquina, em cada igreja, Ele é de uma forma, mas seja qual for a religião, ciência ou fonte de crença, é sempre o mesmo deus. Desde Zeus até Deus, entende? Sempre o mesmo deus se apresentando em diversas formas... E isso é dificil, como crer que um Deus pode ser dividido em três (A Trindade) e ainda assim, ser mais do que esses três? Abastecer uma Igreja Romana, monoteísta, que crê em um Deus que é três, e ainda assim, acreditar que Tupã, Javé, Zeus, Rah e outros são o mesmo Deus?

  • cara ótima interpretação, agora eu gostaria de sugerir que vc interprete outros ícones também.
    tipo Raul seixas sei lá se vc conseguir

  • Olá querido Raelss, realmente eu agradeço pelos elogios, e à respeito de outras análises, como já disse para outros leitores, vou acabar as da Legião por ordem alfabética (vai até o V) e depois vou analisar também Raul, Chico Buarque, Pitty, Capital... E tantos outros grandes músicos, vozes e mentes do Brasil!!

  • seu blog é show de bola, fico faltando a interpretação de Tempo Perdido, a minha música preferida do Legião !!!

  • acho que aqui : "Quem me dera ao menos uma vez
    Esquecer que acreditei que era por brincadeira
    Que se cortava sempre um pano-de-chão
    De linho nobre e pura seda.", ele tambem quis falar de se usar a pureza de uma pessoa para o mal, tirar proveito da bela inocencia para se conseguir algo imundo. falo isso porque ja aconteceu comigo*

  • Eu tinha uma noção, do que ele queria dizer com essa letra, porém achei muito interessante sua interpretação pq Renato era um homem muito inteligente e culto, e você soube passar a ideia dele, muito dez Parabéns !!

  • Muito obrigado querido leitor!
    Seja sempre bem vindo, e agradeço suas palavras!
    Obrigado!!

  • Parabéns Eduardo, muito bem analisada a letra!

  • Muito obrigado, seja sempre mais do que bem vinda!

  • Como assim índios das Índias?

    prometo fazer um comentário descente em breve.

  • Olá caro leitor.
    Não julgo seu comentário indecente, mas caso tenha ficado a dúvida, acho de extrema importância comentá-lo.
    Caso não tenha entendido: A música tem sua letra entre aspas. Quando isso acontece, pode se referir à um ângulo duvidoso ou irônico, como no caso. "Índios" entre aspas porque não são índios.
    Os índios que os europeus encontraram aqui, não eram os índios das Índias, não eram os índios que teriam coisas exóticas para serem comercializadas na Europa. Eram moradores, nativos, da terra brasileira. Índios que não eram das Índias, eram os moradores da terra nova, Brasil, e não os comerciantes das Índias.

  • Em resumo o que o Renato quis mostrar era o quanto o egoísmo, cinismo, inveja, ambição e esses defeitos da sociedade "moderna" tem, em uma música do Racionais Mc's (me perdoem pela mudança radical no estilo musical RS) eles falam disso e dizem que não foi esse mundo que Deus (não sei se é o mesmo do Renato) preparou para nós e que foi o ser humano que estragou tudo, então a crítica principal do Renato era nisso em pessoas que se julgam espertas e que abusam da ingenuidade dos outros para ser darem bem.

    Grande análise parabéns.

  • Realmente, e um ótimo ponto!
    Obrigado Toni, volte sempre!

  • Cara te parabenizo por usar a versão de estúdio. É bem melhor que a acústica que todo mundo conhece.

  • Cara, estou há uma hora olhando seu blog... e eu gostei bastante do que você faz. A temática é legal, e as interpretações são ótimas. Essa música é uma das minhas preferidas do Legião - na verdade, todas são. XD

    Uma coisa que eu pensei quando li o refrão foi que poderia se tratar da inocência e da infância, sabe. A criança que nasce pura e sem maldade vai aos poucos sendo corrompida pelo mundo e pela sociedade. A parte dos espelhos em específico, seria quando a criança descobre o mundo como ele é, quando ela perde a inocência. O legal das letras do Legião é que permitem várias interpretações, dependendo do anglo que se olha.

    Tenho um blog, não de interpretações, mas de crônicas mesmo: http://argoii.wordpress.com. Quando tiver tempo e quiser ler alguma coisa, passa por lá. Passarei a frequentar mais o blog.

    Abraço

  • Não conhecia seu blog. Parabéns pela iniciativa. Tenho esse costume também mas nunca coloquei no "papel". Vou passar por aqui mais vezes. Abraço.

  • Muito obrigado, sempre será bem vindo!

  • Bom, seguindo algumas aulas de filosofia, nessa parte "Quem me dera ao menos uma vez entender como um só Deus ao mesmo tempo é três"
    Quer dizer, as religiões (Não sei todas) dizem que só existem um deus...
    Mas como vamos ver a parte do "Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo, amém", já vemos que "um" é "três'' na real... é isso ^^
    Um abraço, adorei o blog, parabéns, continue com muito maaaaiss!!!!

  • Muiito boom ! Parabéns !

    Camila.C

  • Meu Deus. Interpretação mais que perfeita, ajudou bastante mesmo!!

  • Olha parabéns mesmo viu , eu sabia o que a música dizia , mas no " geral", porque muitas ironias ou metáforas que ele fazia eu ficava na duvida se era ou não oque eu pensava . Me deu uma ótima noção ! PARABÉNS!!!!

  • tenho12 anos sou legionaria tambem parabes pela interpletaçao confirmou oq eu pensava ao respeito dessa cançao

  • Gosto da parte:

    "Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
    Entenda
    Assim pude trazer você de volta pra mim
    Quando descobri que é sempre só você
    Que me entende do início ao fim. E é só você que tem a cura pro meu vício
    De insistir nessa saudade que eu sinto
    De tudo que eu ainda não vi."

    Ela dá muitas possibilidades, mas acho que o eu lirico é Deus: seja na forma de jesus, na forma do índio, na forma do próprio Renato (ou um suicida): afinal Deus está em todos os seres e somente o contato com o outro pode trazer o auto conhecimento (entendimento do inicio ao fim) e o fim dos vícios, ansiedades e inseguranças.
    Gosto disso, o que acha?

  • Creio que a música é uma clara crítica (negativa) ao modo de produção vigente (onde muitos tem pouco e poucos tem muito). Renato demonstra uma nítida insatisfação com a forma em como a sociedade se organiza e se relaciona.

  • "Quem me dera ao menos uma vez
    Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
    E esse mesmo Deus foi morto por vocês
    Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste."

    Eu interpreto isso de uma forma diferente.

    "Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três", poderia ser uma crítica a ideia inventada, em dos concílios que foram organizados em roma com o objetivo de legalizar e oficializar o cristianismo, de que existia Deus, Jesus e Espírito Santo mas que eles eram um só. É absurda a ideia de que três deuses podem ser um só, e acredito que Renato Russo estava criticando isso, essa ideia absurda que foi inventada.

    "E esse mesmo Deus foi morto por você", acredito eu, que Renato esteja se referindo ao ateísmo. Nietzsche (um ateu hedonista)foi quem cunhou a frase "Deus está morto, e nós o matamos" em seu livro Assim Falou Zaratustra. Talvez Renato estivesse se referindo a isto. Como Renato Russo acreditava em um deus universal e em algumas coias (como a astrologia), ele realmente deveria acreditar na existência de um deus, e, por isso, acreditou que o ateísmo deixa o deus universal triste.

  • "E é só você que tem a cura pro meu vício
    De insistir nessa saudade que eu sinto
    De tudo que eu ainda não vi."

    Essa parte "De insistir nessa saudade que eu sinto, de tudo o que ainda não vi", ah, acho que entendo o Renato. Acho que ele está se referindo as expectativas, sentir muitos sentimentos sobre coisas que ele ainda nem viveu. Quando a gente cria muito expectativa, a gente começa a sentir coisas como se aquilo tivesse mesmo acontecendo. Isso faz bem o estilo de Renato Russo.

  • Muito bem interpretado.....

    Abraço...

    Alex Amaro

  • Cara, parabéns pelo blog... Mas, vou te falar uma coisa, não ache (se é que vc acha) que há certo ou errado em poesia, porque isso é poesia e da mais alta qualidade. É por isso que muita gente, dos mais variados tipos, gosta da obra dele, Renato. Pergunte a um católico, a um "doidão" ou a um gay o que eles acham de "Daniel na Cova dos Leões". Cada um, meu amigo, vai ter uma interpretação diferente e nenhum deles estará certo ou errado. Por isso que é poesia... Isso não é breganejo não!!! Abs.

  • Parabéns ! ótima interpretação, isso é Renato, poesia, arte, cultura, história ... Sou Legionária com toda a alegria ! Força Sempre !

  • Gostei muito do seu blog,adoro Legião Urbana,e vc soube interpretar o verdadeiro significado dela os meus parabéns vlw,

  • Bom gostei de sua interpretação, mas cada um tem um tipo de interpretação, e na parte q ele fala, entender como um só Deus aos mesmo tempo é 3, esse mesmo Deus foi morto por vcs sua maldade então deixar um Deus tão triste....creio eu que ele se referia a um único Deus q entregou seu filho Jesus na cruz por nossos pecados, e que representa , Deus pai 1, Deus filho, Deus espírito santo e que mesmo entregando sua vida em uma cruz continuaram com sua maldade sem reconhecer tudo que Deus fez por eles,+-isso aí valeu!!!espero q tenham entendido o que quis dizer, afinal Renato também lia a bíblia e era muito inteligente.

  • Algumas pessoas dizem que essa parte:
    "Quem me dera ao menos uma vez
    Esquecer que acreditei que era por brincadeira
    Que se cortava sempre um pano-de-chão"
    era porque o Renato tinha acabado de se cortar e depois escreveu essa música..

  • Congratz

  • cara vc é fantástico eu sou seu fã ja pensou em compor alguma coisa vc é incrível continue assim !

  • Adorei sua análise. Tu eestás de parabéns. Estive procurando análise completa e encontrei a tua...na verdade, me interessei pela a nálise da canção pois quero levá-la para ser explorada numa aula de portugues na França. Sou brasileiro, lá do norte. Trabalho aqui temporariamente.Tenho alunos franceses e portugueses. E gosto de tratar desses temas que causam impacto neles porque os professores portugueses mostram o lado deles de "colonizadores" como herois e disfarçam a imagem de "exploradores" que eles carregam. Bom, não dá mais pra reclamar, né? Afinal, o povo brasileiro de hoje é formado de índios e europeus..me impressiono como o Brasil foi invadido por tanta gente gananciosa...e fico mais chocada ainda quando vejo a triste realidade deles hoje em dia. Não há um pingo de respeito para com eles. Um abraço. Natália

  • *brasileira

  • Muito boa interpretação,uma obra de arte dessas merece toda a atenção mesmo.Quanto às divergentes interpretações,o próprio Renato já disse em uma entrevista que buscava isso.

    Urbana Legio Omnia Vincit !

  • Concordo com o anônimo que disse que da parte que ele diz: até sangrei sozinho entenda... Ele fala sobre Jesus! E não dele mesmo! Brçs..

  • "Quem me dera, ao menos uma vez,
    Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
    E esse mesmo Deus foi morto por vocês -
    É só maldade então, deixar um Deus tão triste."

    Nesse blog, postaram partes da letra da música erroneamente. Eu vejo de outra forma, no caso Renato estaria referindo-se ao fato de existir um só Deus, e não vários, ao mesmo tempo em que cita Jesus Cristo que morreu por nós, aí vai do entendimento de cada um.

  • parabéns ótima interpretação

  • vc fez no blog o que muita gente queria fazer rsrs
    parabéns pela empreitada

  • "Eu quis o perigo e até sangrei sozinho, entenda" - acho a letra "confessional" -explico: o eu lírico está em todas as posições do jogo/letra - se fosse xadrez seria todas as peças - por isso temo uma visão história, religiosa, pessoal etc. quando o sujeito "confessa" está refletindo sobre si e admitindo suas fraquezas... e nisso está a grandiosidade na condição humana. um abraço amigo, e mais uma vez parabéns!!

  • Gostei da frase esse e o nosso mundo o que demais nunca e o bastante. E uma frase linda da música teatro de vampiros renato russo era um cara realmente diferente. Palavra que algumas pessoas dizem ser mas verdade acabam sendo apenas mais um como nos....

  • Na parte "qm me dera ao menos uma vez fazer com q o mundo saiba q o seu nome está em tdo e msmo assim vc lhe diz ao menos obrigado" sempre achei q fosse uma forma dele criticar as nações porcas q se aproveitavam das maravilhas do mundo como o Brasil e nao lhe diziam nenhum "obrigado"

  • gostei dos detalhes que colocou em alguns trechos.
    Bem mais nesse trecho abaixo, ele se refere:

    Quem me dera ao menos uma vez
    Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três ( Deus é três(Pai, Filho e Esprito) )
    E esse mesmo Deus foi morto por vocês(Jesus foi morto pela hipocrisia humana devido a tanto pecado e falta de amor)
    Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste.(Essa maldade é referente as nossas atitudes de vaidade, pensando apenas em nos mesmo, olhando apenas para nosso espelho e esquecendo tudo ao redor).* na verdade se analisar pode ver que as estrofes são autoexplicativas .

  • Acho que essa música fala de "inocência roubada", exploração e todo tipo de maldade contra as minorias menos favorecidas. Renato cita os índios(verdadeiros donos das terras brasileiras) como o povo que sofreu as maiores explorações e agressões culturais da história do nosso país, apenas como uma representação de todos aqueles que são oprimidos todos os dias. Uma música que resiste ao tempo. Sempre atual.

  • Eu gostei muito e como já disse em outro comentário estou curtindo muito o seu blog, mas tem algo que eu descordo quando ele fala "Assim pude trazer você de volta pra mim
    Quando descobri que é sempre só você
    Que me entende do início ao fim" tem um amor ai por alguém, embora ele fale da religião sociedade hipocrisia eu sinto que Renato Russo as vezes coloca seus amores de maneira discreta. Abraços!

  • Outra observação parece que Renato Russo acredita sim em DEUS, mas sem religião. A religião realmente não era para ser, mas tem sido algo muito sujo. Uma grande porta para hipocrisia. Era ser algo que religasse o homem a DEUS unir as noções. Ele relata muito essa hipocrisia. Fala da sociedade de 1986 que também pode ser trazida para os dias atuais e também sobre o que os portugueses fizeram com os índios. Foi bem ali que o nosso país se perdeu. Começou bem com a invasão portuguese e ninguém vem libertar o Brasil. Sua interpretação me inspirou.

  • Realmente, esse lance de ver os espelhos como simples objetos q Portugal deu aos índios em troca das riquezas naturais daqiela terra é meio genérico e fácil demais de ser entendido. Tinha q ter algo mais. Se fosse assim tão simples ñ seria Renato. Mas dizer q "nos deram espelhos e vimos um mundo doente" significa q ao olhar nosso reflexo nos deparamos com algo ñ muito agradável é bem mais profundo e é uma das melhores partes da música =3
    Gostei do blog, sou meio lerda pra interpretações!

  • O trecho "eu quis o perigo..." pode refletir um pensamento cristão, do qual sabemos que Renato transitava. Jesus teria dado sua vida para pagar a divida dos pecados do homem, única maneira de aproximar novamente o homem e Deus, pois da forma como acontecia, todo pecado precisava ser expurgado com um ato de sacrificio. (...e até sangrei sozinho) Pode ser isso que ele quis dizer com "assim pude trazer voce de volta pra mim"

  • ������������ eu li de vc, o que realmente esperava dessa letra! Gostei muitooo

  • Fiquei sem palavras.
    Como Renato consegue fazer músicas impressionantes.

  • Cara muito linda sua observação, ma parte dos espelhos, eu imaginei um contexto mais histórico, como os portugueses traziam coisas de Portugal que pra eles não tinham muita importância, e para os índios era algo inusitado, então no momento em que os portugueses traziam essas coisas juntamente eles traziam doenças, como a gripe, e os Índios por nunca terem contato com essas doenças acabara morrendo facilmente, na verdade, em toda a letra eu só consegui enxergar um comt texto histórico de fato, mas depois da sua interpretação eu enxerguei que essa musica fala muito mais de sentimentos do que de historia, o que deixa ela ainda mais linda <3

  • quase todas as letras de r. russo é de sentido profético

  • r. russo podia até não saber más o Criador usava ele como fonte profética para falar principalmente com a juventude. ex: sete cidades (as sete igrejas da ásia de apocalipse), se fiquei esperando o meu amor passar ( refrão: Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo tende piedade de nós...), monte castelo ( 1ª Corintios cap 13), via láctea ( Quando tudo está perdido sempre existe um caminho....sempre existe uma Luz...). entre outras como: angra dos reis ( apocalipse - Quando as estrelas começarem a cair...) quando o sol bater na janela do teu quarto (lembra e vê que o caminho é um só.
    agora a gente tem que saber a diferença entre templo e igreja, templo são 4 paredes e igreja somos cada um de nós, e religião e o ser humano procurando uma forma de se ligar a Deus.
    O salvador é o caminho enviado pelo Criador para salvar a umanidade da condenação do mundo.
    o Salvador é contra o "todo" "sistema", principalmente todo o sistema religioso criado pelo homem.
    as letras das canções de r. russo tem muito mais conceito de "santidade" pureza e verdade do que essas canções do meio gospel de hoje em dia.
    eu creio num Criador que enviou seu filho Unigênito que morreu e ressuscitou ao 3º dia e intercede por nós pecadores e um dia voltará para nos buscar para uma vida eterna ao lado do Pai.

  • Muito boa a sua análise. Parabéns!

    Eu queria acrecentar algo na parte de "nos deram espelhos e vimos um mundo doente", pois acredito que tenha dois significados.

    Essa frase, como você mesmo citou, fala que os índios trocaram objetos valiosos por objetos sem nenhum valor (como o próprio espelho), mas há uma visão implícita que ela passa ao fazer uma brilhante analogia ao modo como os índios foram perdendo sua inocência graças ao conhecimento de uma nova cultura, repleta de crueldade e egoísmo; o nativo teve que se adaptar ao "mundo doente" que lhe foi imposto, e ele não mais poderia voltar a ser o que era, pois visualizou através do "espelho" que a doença do mundo é o homem.

    Espero que tenha entendido minha visão e que ela acrescente em algo, sempre achei essa parte magnífica. Abraços!

  • esquecer que acreditei que era por brincadeira:
    kis dizer : ele esqueceu de acreditar nas converssas dos politicos ....ki so era promessas

  • Concordo com você anônimo.
    Esse cara errou essa e muitas outras partea da música.

  • Parabéns, muito ampla e abrangente sua interpretação. Índios pra mim, é a música mais perfeita que existe. Sou fascinado pelo seu poder altamente crítico e impactante que leva as pessoas uma reflexão até nos dias de hoje.


  • Eu quis o perigo e até sangrei sozinho, assim pude trazer você de volta pra mim... é o próprio Cristo que diz isso, é tradição cristã que somente pelo sacrifício de Jesus poderemos voltar a presença de Deus... mais uma vez a abordagem da catequização...

  • ÓTIMO !!

  • "EU QUIS O PERIGO E ATE SANGREI SOZINHO ENTENDA, ASSIM PUDE TRAZER VC DE VOLTA PRA MIM".
    ISSO FOI EM UM MOMENTO DA VIDA DELE QUANDO A ATRIZ ( QUE HOJE É POUCO CONHECIDA) TERMINOU A RELAÇÃO COM ELE ( POR CONTAS AS INCONSTANCIAS DELE)
    ELE CORTOU OS PULSOS ("SANGREI SOZINHO") ASSIM PUDE TRAZER VC DE VOLTA PRA MIM ( ELA FOI AO HOSPITAL VISITÁ-LO E DEPOIS NA CASA DELE)
    MAS O RELACIONAMENTO DELES NAO ACONTECEU NOVAMENTE.
    ESSA EXPLICAÇÃO FOI DADA POR ALGUÉM PRÓXIMO A ELE NA ÉPOCA A ATRIZ TAMBEM PODE CONFIRMAR MAS ESSE ASSUNTO NAO E PERMITIDO PELA FAMILIA DELE ;)

  • Cara bela interpretação! Sempre entendi o último verso sendo relacionado aos índios mesmo não ao Renato. Meio trágico, o índio por mais que tente chorar não consegue, pois já foi morto.

  • Cara bela interpretação! Sempre entendi o último verso sendo relacionado aos índios mesmo não ao Renato. Meio trágico, o índio por mais que tente chorar não consegue, pois já foi morto.

  • Olá ,nessa parte do perigo ,ele próprio queria o perigo ,pois antes de fazer a música ele cortou seus pulsos ,Renato estava deprimido

  • Concordo ele estava falando da vida dele

  • Concordo ele estava falando da vida dele

  • Olá ,nessa parte do perigo ,ele próprio queria o perigo ,pois antes de fazer a música ele cortou seus pulsos ,Renato estava deprimido

  • Pessoal, no meu ponto de vista entendo que ele expressa através da quinta E SEXTA estrofe: o desejo, vontade de ter ou querer viver o que por circunstância do destino impediu que ele não vivesse. ELE DEIXA CLARO QUE ELE SENTE SAUDADE DE VIVER O QUE ELE NÃO VIVEU, ENTÃO LOGO ENTENDO QUE A MENTE DELE GIRA ENVOLTA DO QUE ELE SENTE VONTADE DE VIVER MAS POR ALGUMA BARREIRA NÃO TORNA POSSÍVEL. O QUE VOCÊS ACHAM?

  • Gostei muito da interpretação. Renato Russo era um sábio que tinha esperança que o povo abrisse os olhos através de suas músicas.

  • Minha prof de Redação pediu para a turma escrever esse texto


    Colégio Elite Barcarena"

  • Linda interpretação. Tá de parabéns. Só uma observação. Eu imagino que no trecho da musica q diz:"Quem me dera ao menos uma vez
    Fazer com que o mundo saiba que seu nome
    Está em tudo e mesmo assim
    Ninguém lhe diz ao menos, obrigado".Imagino q Renato queria dizer que "herdamos" várias coisas da cultura indígena e nem sabemos q aquilo é da cultura indígena como exemplo nome de ruas, cidades,comidas, nomes próprios. Etc. Vivemos em uma "sociedade indigena" e muitas vezes não Nos damos conta disso....

  • Parabéns pela interpretação. Li outras, mas a sua entra em consenso com a minha, por isso, foi a que mais me identifiquei.

  • Muito boa a sua análise sobre essa música.eu curto de mais essa banda legião urbana.fazem muita falta no senario musical.

  • Muito boa a sua análise sobre essa música.eu curto de mais essa banda legião urbana.fazem muita falta no senario musical.

  • Uma das mais bacana interpretações que já li, parabéns

  • POST ARIES:ACERTOU O DESEMARANHAMENTO DA AGUA FOI REVELADO QUE A AGUA VAI DESAPARECER POST LEGIAO URBANA RENATO RUSSO BRASILIA-DF

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!