Uma das análises que não me deu trabalho, mas que claro, me exigiu muita atenção, afinal, cada erro nessa interpretação, que ao meu ver, é uma feita das melhores músicas da música brasileira, do Rock nacional e sem dúvida, um dos hinos da Legião Urbana.
Sendo a segunda música do "As Quatro Estações", Pais e Filhos é apresentada pela primeira vez no álbum de 1989, e reapresentada muitas outras vezes depois: Está presente em outros álbuns, tendo aparições no "Acústico MTV" (faixa 04), no "Como É Que Se Diz Eu Te Amo" (faixa 02), no "As Quatro Estações - ao vivo" (faixa 06), no famoso "Mais do Mesmo" (faixa 10) e no Perfil, lançado em 2011 sendo a faixa de número oito. É realmente, uma das mais conhecidas.
Segue-se a letra, com um breve comentário em sua introdução, e depois sua análise:

"Pais e filhos é especificamente sobre a nossa situação [dos componentes da Legião], pois nós três, agora, somos pais. E este disco é extremamente universal, não está ligado ao momento. Daqui a 20 anos, vamos poder ouvir Pais e Filhos" - Renato Russo.
Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu.
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender.

A primeira parte, sempre foi um grande ponto X pra mim.
Eu sempre duvidei que o primeiro verso era algo simbólico, poetizado para dar nexo, não total sentido, mas levando em conta do que se trata a música, imagino que o primeiro verso faz uma alusão à coisas que as pessoas que se vão deixam. Estátuas que são reformadas em túmulos e mausoléus, cofres que são trocados e descobertos seus segredos e paredes que são pintadas, mudam, mas o mistério continua: Ninguém sabe o que aconteceu. Sabe-se apenas que "ela" se jogou da janela do quinto andar, e nada é fácil de entender. Interessante analisar essa parte e imaginar como é a sociedade em que vivemos. Ninguém sabe o que aconteceu, ninguém sabe porque "ela" se jogou, nada é fácil de entender, mas todos ainda assim, à julgam, mesmo ela não estando aqui. 
Dorme agora,
é só o vento lá fora.
Quero colo! Vou fugir de casa!
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três.

Essa parte, quem começa são os filhos (futuros pais).
Para entender o resto da música, e a troca de personagens, basta entender essa parte.
Os pais dizem ao filho quando pequeno para ele dormir, que é só o vento lá fora que faz o barulho que o perturba. É só o vento lá fora, que o faz não dormir. É lá fora que acontecem os problemas.
O menino (vou usar essa pessoa, mas pode ser outra pessoa, de outro sexo), diz que quer colo quando pequeno, e mais tarde, que vai fugir de casa.
O menino quando pequeno, pede pra dormir com seus pais, porque tem medo do que está lá fora, atormentando sua janela e perturbando seu sono, e mais tarde, que só voltará depois das três, o que nos faz montar uma cena de crescimento e imaginar esse processo: o filho querendo colo, e que está com medo, cresce e perde o sono: troca seu sono na cama dos pais (quando criança) pelas noites nas ruas, quando mais velho.
Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.

Essa parte, ao contrário da outra, quem começa são os pais (passados filhos).
Eles planejam o nome do filho, retratando como os pais, desde o planejamento de gravidez, ou desde a notícia do feto, já fazem ideias e planos para seus futuros filhos.
Aqui, nessa parte, aparece pela primeira vez o refrão da música:
É preciso amar, as pessoas como se o amanhã não existisse, porque se você parar pra pensar, e ver se há lógica, veremos que não há. Não "há" o que?
Não há sentido em crer que amanhã continuará tudo igual; não há sentido em pensar que o amanhã será  o mesmo que hoje; Não há sentido em pensar, que na verdade o amanhã virá. Hoje, é hoje. Não há amanhã. Não há chances e oportunidades para o futuro, existe apenas o agora. A vida, as opções, caminhos (do amor, como por exemplo) e do perdão, existem hoje. 
Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim.
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar.
Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais.

Essa parte, é interessante interpretar fazendo uma síntese geral.
Aqui, são diálogos e pensamentos de filhos para filhos, de pais para pais ou de pais para filhos (e vice e versa). Um filho pergunta porque o céu é azul e pede explicações sobre a fúria do mundo (começando com a crítica), e então um pai (ou mãe) diz que quem cuida dele são seus filhos, e então outro filho diz que mora com sua mãe, mas o seu pai vem o visitar, e então outro filho diz que mora na rua e não tem ninguém e mora em qualquer lugar.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.
Sou uma gota d'água,
sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem,
Mas você não entende seus pais.

Novamente há o refrão e a mensagem de que se deve amar ao próximo como se o amanhã não existisse porque se parássemos pra pensar, na verdade, realmente, ele não existe.
Renato nos dá a mensagem de pequenez do homem. Somos uma gota d'água na nossa cidade, no nosso estado, país, continente, planeta, e até sistema. Não passamos nada mais, nada menos do que um grão de areia.
Após mostrar o quão pequenos somos, é dito um pensamento e a resposta para ele. Quantas vezes, nós adolescentes dizemos que não somos compreendidos e que nossos pais não nos entendem, mas na verdade, muitas vezes sabemos, em nosso íntimo, que na verdade somos nós quem não entendemos nada. Quantas vezes queremos sair, por exemplo, e brigamos com os pais por um "não"? Mas quantas vezes nos colocamos no lugar deles pra pensar o quanto conhecem e quanta experiência eles tem e se não nos deixam é porque sabem como é o mundo lá fora, onde há barulho que incomodam nossas noites quando pequenos. 
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser,
Quando você crescer?

A mensagem que Renato nos passa, se completa nos últimos versos. "Você culpa seus pais por tudo", dando o ênfase da ignorância dos filhos e completando a ideia de que não entendemos os nossos pais.
Os nossos pais são crianças, em seu passado, como nós somos agora, no nosso presente. E em nosso futuro, seremos pais como eles, agora no presente.
Criticamos tanto os nossos pais, e acabamos como moral, a última frase da música; O que seremos quando crescermos? Ou seja: falamos agora de como errado é o pai, e quão certo é um filho. E quando os papeis se inverterem e o filho se tornar pai ou a filha se tornar mãe?


"Esta música é sobre suicídio. Ela é muito, muito séria. Me desgasta para caralh* quando a gente toca, e as pessoas não percebem. É sobre uma menina que tem problemas com os pais, ela se jogou da janela do quinto andar e não existe amanhã. Eu acho bacana, é uma música bonita, mas existe um clima em torno de algumas músicas da gente que me assusta. Quer dizer, cada pessoa interpreta à sua maneira, mas isso é uma música seríssima, é que nem Índios. Eu não Aguentaria ouvir duas vezes seguidas. Eu gostaria, então, que as pessoas prestassem atenção na letra e vissem que é uma coisa muito forte" (1994)

Análise, interpretação e pesquisa: Eduardo Rezende


44 comentários to "Interpretação: Pais e Filhos"

  • Eu simplesmente amei essa interpretação.
    Já estava na hora de interpretar uma das três músicas mais famosas da Legião (disputando o páreo com Eduardo e Mônica e Faroeste Caboclo).
    Como não há nada em que discordo em sua interpretação, vou apenas falar sobre algo na música.
    Imagino um clipe, bem produzido, com atores e direção ótima. E imagino que desde "eu moro com a minha mãe" até "eu moro com meus pais", uma criança diferente simularia estar cantando a música, assim como no clipe de Black or White, de Michael Jackson. Simplesmente amo a música, amei a análise...embora não seja uma letra difícil de se entender, é necessária muita sensibilidade e e inteligência para explicar sem se atrapalhar. Parabéns pelo texto, Eduardo.

  • Sério, isso foi algo que me deixou extremamente feliz!
    Pais e Filhos, é o mesmo comigo! Ela tem o poder de me fazer pensar (assim como essas duas que você citou), de nos fazer imaginar um clipe, com a vida.
    Eu também imagino a mesma cena, e ainda imagino todo o contexto de suicídio acontecendo, com uma legião (realmente, uma legião dos fãs) cantando o "É preciso amar...amanhã" como no Platéia Livre. Obrigado pelos elogios. Seja sempre mais do que bem vindo por aqui! =)

  • Poxa, Eduardo, essa ficou muito foda!
    Eu nem sei como vc conseguiu interpretá-la separando os versos. Eu tentei fazer isso, não consegui, acabei escrevendo um texto corrido (Isso pq eu acho que o acontecimento do suicídio, apesar de aparecer primeiro, decorre de todas as situações que sucedem na música) que acho que nem cabe em blogs de interpretação de músicas. Quem sabe um dia eu poste...
    Como o Raphael, não tenho nada a discordar. Talvez acrescentaria coisas como, por exemplo, toda vez que ouço "Pais e Filhos" me vem à mente "If tomorrow never comes", que tem muito essa cara de 'é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã'.
    Aliás, essa frase, li em algum lugar do qual não lembro, o Renato não criou, mas viu num filme e copiou. Mas isso não tira nem um pouco a genialidade...
    Acho que é uma coisa tão importante que essa música quer passar. A gente acha que tá no controle, que pode alguma coisa, que seguindo as regras tudo vai estar bem. E a gente não é nada, nascemos, vivemos e morremos impotentes.
    Beijos, Dudu! Você é demais, cara.

  • Obrigado Tha, muito, muito mesmo! *-* Isso move qualquer escritor, mesmo nos mais simples textos ou análises (como sabemos fazer e escrever, creio), a fazer e fazer, e fazer sempre sem parar, com o impulso de satisfazer mentes iguais ou diferentes.
    Muito obrigado pelas palavras e realmente, penso como você em suas ultimas palavras quando diz que somos impotentes. Seja qual for sua vida, de pai que vem te visitar, de pessoa que não tem ninguém nem nada, ou de que não tem a mãe, ou o pai... O fato é que todos somos iguais. Somos tanto filhos como talvez um dia seremos pais. E da mesma forma, estamos aqui (em outras palavras) para evoluir. Apenas isso.

  • Muito boa a análise, mas acho q na primeira estrofe, ele fala das estátuas, cofres e paredes pintadas, cita q perdemos nossas vidas ao léu. Ela tinha tudo que podia querer, era rica, morava no quinto andar, mas não percebeu o quanto tinha. Prova mais uma vez que, ''Ainda que eu falasse a língua dos homens,e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.''

  • Interessante sua relação nesse ponto Ruan. Seja sempre bem vindo! =)

  • Análise perfeita.
    Mas eu sempre imaginei que a parte

    "É preciso amar as pessoas
    Como se não houvesse amanhã
    Porque se você parar pra pensar
    Na verdade não há."

    significasse que se você perdesse tempo pensando no amanhã ao invés de amar as pessoas, você perderia sua vida, seu tempo e por conseguinte o amanhã não existiria.

  • Interessante seu ponto, imaginando que seríamos egocêntricos pensando no amanhã que nós teremos e não no amor ao próximo ainda hoje. Um ponto curioso que merece meu respeito! Seja sempre bem vindo, e muito obrigado!

  • Eduardo, segundo uma reportagem a primeira parte faz referência a prima do Renato que se suicidou ao descobrir que era adotada...
    Consta em reportagem.
    Adorei o blog!!!

  • Interessante!!
    Não conhecia esse ponto, li nos livros, procurei na internet, e não encontrei nenhuma referência. Interessante ponto...
    Obrigado, seja sempre bem vinda! =)

  • Eu já li uma entrevista em que ele fala que a música é mesmo sobre suicídio, mas ele conta que é sobre uma amiga dele que era muito revoltada e descobriu que era adotada e então se suicídou. É verídica a história.
    E ele tem razão... apesar de eu amar Legião Urbana, tem musicas que as vezes me deixam abalada emocionalmente.

  • Realmente, Pais e Filhos nos faz pensar nas cenas que ele retrata, e ele mesmo diz que é uma letra triste e que muitas vezes não encaramos dessa forma. Imagino que Pais e Filhos é linda em todos os pontos, mas ouvir várias vezes ao dia, é o mesmo que repetir Clarisse.

  • Os poetas se acabaram, hj o povo só quer saber de rebolar, a inteligência acabou, a mídia encima a burrice de continuar tudo como está e vamos dançar que isso é cultura isso é o Brasil, Legião Urbana hoje lembrado por muitos ainda que tem sede de música boa, na minha percepção Renato compôs as músicas mais inteligentes, falando de tudo um pouco do nosso mundo atual, por que muitos só falam de amor e amor e relacionamento amoroso entre namorados e traição entre marido e mulher, mas Renato falou de tudo ruim e bom, mas de tudo um pouco!! Essa música é uma inspiração pra todos os pais e filhos, mas hj o povo só quer saber de tchu Tchau Tchau, oioio oioio, e tche tcherere,!!! Triste!! A inteligência acabou!!

  • Acho que pode ser também o cenário do suicídio, no seu apartamento ou escritório talvez puderem ter cofres e paredes pintadas, e no jardim do prédio onde ela caiu tivesse uma estátua!

  • Na verdade essa frase é muito conhecida não se hoje, não foi ele que inventou mas acho que não foi de um filme que ele tirou também!! Talvez acho que seja até bíblica, eu sempre interpretei como amar as pessoas sem interesse do amanhã, mas amar no agora é esquecer que pudesse vir qualquer benefício amanhã!!

  • Perfeita interpretação. Já era apaixonado pelas músicas do Renato Russo ( o poeta ) e isso se concretiza cada vez mais. A cada música, A cada interpretação, a cada leitura me mostra o quanto ele nasceu para "mudar" uma geração com suas músicas.

  • Parabéns pela interpretação, só quero compartilhar com vocês que essa é minha música favorita do Renato, eu não consigo ouvir e não chorar, sério! Quero também compartilhar minhas reflexões em torno desta, bom, quando ele fala "é só o vento lá fora", gostei da visão da maldade lá fora, da proteção que temos ou que deveríamos ter no lar. Na parte que ele fala "meu filho vai ter nome santo, quero o nome mais bonito", quero apenas destacar que as pessoas depositam em seu (s) filho (s) suas esperanças e projetam uma vida maravilhosa para o mesmo (s), quando ele diz querer nome de santo, ele imagina uma criatura perfeita com um futuro diferente do seu, melhor talvez, e mais feliz, uma vez que a música trata de um suicídio, das incompreensões e da relação muitas vezes conturbada entre pais e filhos . Quando ele fala do céu azul e da fúria do mundo, trata da nossa inocência e pureza que temos quando crianças em comparação com a maldade do mundo que nos corrompe ao longo de nossas vidas. Pra finalizar, destaco as últimas estrofes da música, quando ele fala "você me diz que seus pais não entendem, mas você não entende seus pais, você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo, são crianças como você, o que você vai ser quando você crescer?", é talvez a parte mais linda e mais reflexiva (juntamente com o refrão, é claro), pois aqui desmorona todas as convicções errôneas que temos em relação aos nossos pais (que eles não nos entendem, discutem conosco, etc), eles são crianças e só querem colo assim como nós, nossos pais nos entendem tanto que fazem de tudo para não nos deixar errar assim como eles erram, e no fim de tudo, somos todos iguais, grãos de areia, gotas d'águas, mas somos tão amados por nossos pais (sejam pais biológicos, sejam separados ou juntos, sejam os pais que encontramos por aí - na rua ou em qualquer lugar, enfim) que somos iguais a eles! E no fim, as coisas materiais não tem importância, só queremos amor, só queremos ser amados hoje, porque o amanhã não existe, é apenas uma ilusão. É isso! Bjss

  • O início da música Pais e Filhos fala do "Caso Mônica",( a reportagem saiu até no Fantástico) uma adolescente de 14 anos que resolve ir a um apartamento com quatro rapazes depois de sair de uma boate.Ela é encontrada morta, supostamente jogada do edifício.Os rapazes alegaram que ela, Mônica, era um travesti e que no meio da confusão ela cai do 5º andar, mas a polícia, na época, acha que fora um assassinato, que jogaram-na.

  • A primeira parte interpretei um pouco diferente. Pois aparentemente a letra foi feita em homenagem a uma garota que Renato conheceu em uma balada e que estava com problemas familiares,provavelmente quando ela chegou em casa deve ter discutido novamente e acabou cometendo suicídio, no outro dia ele viu no jornal a foto dela e 'fez' a música.. Então vai aqui mais ou menos o que eu consegui entender. "Estátuas e cofres e paredes pintadas" - aparentem,ente fala de uma família bem estruturada de classe media alta, que possui bens tem uma casa confortável. "Ninguém sabe o que aconteceu. Ela se jogou da janela do quinto andar.Nada é fácil de entender." Justamente por ela viver aparentemente "bem" ficam assustados sem conseguir entender o porque dela ter feito isso, tirar a própria vida demonstra que ela vinha sofrendo a muito tempo calada.

  • ADOREI... ESTOU CHORANDO MUITO...

  • Gostei da interpretação, mas o Renato fala claramente que a letra se trata do suicídio de uma menina... Sendo assim, acredito que a música se trata de uma mensagem de como é e como deveria ser uma relação entre Pais e Filhos pra que esse tipo de coisa ocorra ou seja evitado.

  • Concordo com sua interpretação, venho mencionar que apesar de a música inteira ser maravilhosa, meu verso favorito e o mais marcante é "Como se não houvesse amanhã/Porque se você parar pra pensar/Na verdade não há.". Eu encaro esse verso da seguinte forma, interpreto como um momento de reflexão por parte do próprio renato russo sobre nossas relações efêmeras e como o tempo é algo relativo, pois toda a nossa ideia de futuro, "o amanhã" é uma invenção de nossas mentes, pois o amanhã não existe, pois quando o amanhã chega já é hoje, somente o presente existe e o passado torna-se apenas uma lembrança. Nós nos preocupamos com nós mesmos por sermos criaturas tão frágeis cuja existência é algo tão breve. O amanhã, nós inventamos como forma de conforto para continuarmos vendo um sentido em nossas vidas, mesmo nas nossas relações familiares, pois através delas arquitetamos nossos planos futuros, de deixar algo para o mundo. Como ele mesmo se qualifica "uma gota d'água" "um grão de areia", somos muito pequenos e o máximo que queremos é contribuir de alguma forma na vida de alguém e mudar o mundo de alguém, deixar uma parte nossa que será eterna, valores que serão passados de geração à geração a fim de que nos tornemos imortais.

  • "Essa música é sobre suicídio. Ela é muito, muito séria. Me desgasta pra caralho quando a gente toca, e as pessoas não percebem. É sobre uma menina que tem problemas com os pais. Ela se jogou da janela do quinto andar e não existe amanhã. Eu não aguentaria ouvi-la duas vezes seguidas. Eu gostaria, então, que as pessoas prestassem atenção na letra e vissem que é uma coisa muito forte."

    -Renato Russo sobre Pais e Filhos

  • Desculpa chegar aqui atrasado =D
    Mas eu adorei a interpretação, que é muito parecida com a minha. A relação/responsabilidade/mentalidade entre pais e filhos retratada com algumas sutilezas contrastantes de cada época. Tem também a linha histórica entre o passado e o futuro e o amor, bem aquele que o (permita-me) cristianismo nos ensinou. Essa música pega pesado demais. Difícil escutar ela sem sair ileso =`\ | @gustavaum

  • Olá Eduardo Rezende!
    Tenho visto as suas interpretações das músicas da Legião e vejo que você consegue extrair ótimos comentários. Continue assim! Eu sou mais um Legionário a te aplaudir de pé! Parabéns!!!

  • Ótima análise cara. Acabei de entrar no blog e já me apaixonei pelo conteúdo e pelas interpretações. Já "favoritizei" aqui.
    Parabéns!

  • Eduardo, mais uma vez ótima interpretação! Acho que Renato tenta retratar as várias relações entre pais e filhos, desde a infância até a idade adulta e até mesmo dos filhos que são "pais" dos próprios pais na velhice. Esta música faz referência à música do Belchior "Como nossos pais" quando diz "são crianças como você. O que você vai ser quando você crescer?" Compare, "Nós ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais!" A música é uma obra prima. Forte abraço cara! Gostei muito do seu blog. Pessoas cultas debatendo idéias com respeito e português correto!

  • Só vou falar do começo da música: ESTÁTUAS= objetos imóveis que não mudam jamais, ou seja pais que não são flexíveis, que não cedem... COFRES = sempre fechados, intransponíveis... Talvez assim fossem os pais da garota... Amem seus filhos como se não houvesse amanhã !!!

  • Boa noite,
    tenho tanta coisa para falar...
    Bom, primeiro gostaria de parabenizar a todos, principalmente o Eduardo, acho que todos estão corretos com as suas interpretações, vai do sentimento de cada um. Segundo, que sou um cara racional, das exatas, tenho muita mais muita dificuldade de me relacionar com os meus sentimentos, e não gostaria de ser julgado pelos meus pensamentos. Penso de maneira muito reta, aguda. E exatamente por ter dificuldade de me relacionar com os meus sentimentos não consigo entender músicas e não fico tentando entender, mas esta músicas sempre em causou uma tristeza profunda. A perda no suicídio da garota, da vida, das conquistas, do futuro, do amanhã. Sempre achei sem nexo cofre, paredes, pontos de vistas de pais e filhos. Mas o que me faz gostar tanto desta musica já eu não entendo? Fato é que esta musica me fortalece, pois somos pequeninos, e toda vez que penso " É preciso amar as pessoas / Como se não houvesse amanhã / Porque se você parar pra pensar / Na verdade não há", precisamos amar uns aos outros, em todas as ocasiões, e ai eu dou um "BOM DIA" para uma não um "bom dia" mas um "BOOOOOOOM DIA", sorrindo, para levar alegria e felicidade para o/a motorista, o cobrador, o gari, o chefe, o cara do ponto de onibus e a tantos outros que cruzam as nossas vidas, pois não sei como foi o dia de ontem, não sei com está sendo o dia dele agora, e principalmente, não tem amanhã. Então fazer o melhor do melhor em tudo, não para ter status social, mas para não perder alguém as várias formas de morrer. (Estou com um nó grande na garganta enquanto escrevo). Penso o meu melhor é o meu voto, pois o futuros dos meus filhos/sobrinhos/filhos dos amigos/vizinhos, não está nas mãos deles está nas minhas e tenho que ajudar agora. Outra parte que me deixa triste/forte/alegre, é o final, "o que você vai ser quando vc crescer?" seremos pais, e ai penso (pelo mesmo tento) imaginar em tudo que eles fizeram para mim, e penso tenho ser melhor para todos. Esmaga o meu coração, me atribui trabalho, e fico feliz.
    Nunca li um post qualquer para não ficar perdendo o meu tempo, com coisas que as pessoas deixam na net, leio o principal, 2 ou 3 comentários e vida para frente, amanhã não existe. Estava procurando a letra da musica para colocar de epígrafe, e tive o problema de saber se Renato Russo escreveu "Você me diz que seus pais não TE entendem", "Você me diz que seus pais não lhe entendem" ou mesmo sem nada "Você me diz que seus pais não entendem", e me deparei com esta interpretação muito bonita e minuciosa da musica. Gostei muito, muito mesmo Eduardo. Obrigado e parabéns. Pretendo ler outras interpretações.
    Gostaria de ser notificado

  • Meu Deus *----* cono vc escreve bem, realmente perfeito, mais eu acho q vc esqueceu de um detalhezinho (ja morei em tanta casa que nem me lembro mais) no meu ponto de vista esse trecho se referi aos filhos de militares, ( que São obrigados a se mudar de 3 em 3 anos pelas transferências dos pais) mais a análise foi simplesmente perfeita, obrigada

  • Realmente é o ponto x a primeira parte. Ele falou isso no programa livre do Serginho. Eu acabei de assisti. Ele disse em outras palavras que muitos tem interpretações diferente, mas musica fala de suicídio. Tive comentar mesmo antes de ler toda a sua interpretação. Abraços!

  • Perfeita!

  • Mas como ele disse o foco total é o suicidio

  • Desculpe, mais TODA a interpretaçãom foi um chute qua bateu na Trave e que não foi gol, apenas passou perto. Teve muitos equivos na interpretação embora nao esteja completamente errada.

  • Amigo amei seu blog e amo Legião. Parabéns pelas interpretações, todas são otimas

  • Cara, sempre que eu ouço essa música sinto um pesar no coração. Minha interpretação sempre foi essa, mas vendo as suas palavras eu chorei. Parabéns pelo blog!

  • Todos nós concordamos que se trata de um suicídio. Porém, na minha opinião, o desenrolar da música é uma tentativa de explicar o que levou a menina a cometer o suicídio. [Nada é fácil de entender]
    Ele começa “Dorme agora…” , isso seria a infância da menina.
    “Quero colo! Vou fugir de casa!Posso dormir aqui com vocês?” É a confusão da menina, entrando na adolescência.
    “Me diz, por que que o céu é azul? Explica a grande fúria do mundo” Agora ela está na adolescência, ela tem suas dúvidas, suas crises de existência, suas revoltas…
    “Eu moro com a minha mãe mas meu pai vem me visitar” os pais dela se separaram. “Eu moro na rua, não tenho ninguém, eu moro em qualquer lugar.” Ela já não tem mais vontade de estar em casa, de estar com a família (seus pais), pra ela tanto faz.
    “Já morei em tanta casa…” ela já se mudou muito, sua vida é conturbada, confusa demais.
    “Sou uma gota d’água,sou um grão de areia” entendo isso como depressão. Ela se sente insignificante, não dá mais valor à sua vida, ela se sente só mais uma.
    “Você me diz que seus pais não te entendem,mas você não entende seus pais” Entendo essa parte como alguém tentando conversar com a menina, convence-la de que ela também está errada.
    “Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo” Isso seria uma crítica não só à menina, mas aos pais dela também. Pois,a adolescência, suas confusões, a falta de atenção, a separação dos pais,e muitos outros fatores causados/provocados pelos pais, juntos estavam causando um problema sério.
    “São crianças como você.O que você vai ser quando você crescer?” Aqui, na minha opinião a menina para pra pensar sobre seus objetivos e se vê sem futuro. (se meus pais são meu exemplo, assim confusos, sem rumo, o que EU serei então ?)
    A menina então se suicida, porque o que faltava pra ela era amor e atenção.

    “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã,porque se você parar pra pensar na verdade não há” Houveram vários ‘amanhã’, mas com toda essa confusão, ninguém deu valor à isso. Quando os pais viram não dava mais tempo, simplesmente não haveria mais amanhã, pois sua filha já havia se suicidado. Vejo tudo como uma critica aos filhos, por não darem valor e tratarem mau seus pais, e aos pais, por mesmo que sem querer, não darem atenção aos seus filhos, o que torna a relação entre “Pais e Filhos” de qualquer família, muito complicada.

    Não sei se fez muito sentido, mas ta aí a minha intenção … haha

  • De todas as colocações de ponto de vista, a sua foi a pior, os próprios ex integrantes da banda, já deram entrevistas informando que esta música se trata se suicídio, e de riqueza, de criança.

  • De todas as colocações de ponto de vista, a sua foi a pior, os próprios ex integrantes da banda, já deram entrevistas informando que esta música se trata se suicídio, e de riqueza, de criança.

  • Sempre que ouço uma música, sobretudo as que gosto, procuro criar as imagens pra dar sentido à história... Mesmo antes de saber o que o autor quis dizer exatamente, dou meu próprio sentido à ela... Acho isso incrível ... A música nos permite viajar, e o céu é o limite... não existe certo ou errado... li todos os cometários e adorei, todos me fizeram viajar... Show!!!

  • Penso nessa frase do refrão como se realmente nao houvesse o amanhã,porque não sabemos se vamos estar vivos no dia seguinte,não podemos deixar pra depois o que tem q ser feito agora,devemos aproveitar e amar hoje porque assim como a garota que se jogou da janela do quinto andar poderemos não esrar vivos no amanhã. Não digo que vamos nos suicidar,mas qualquer coisa poderia acontecer e não teriamos a oportunidade de fazer amanhã,por isso existe o agora,o hoje!

  • Tatuarei no braço: "É preciso AMAR as pessoas como se não houvesse amanhã..."! Há muita sensibilidade e intensidade nessa frase... e é como penso a vida. Diz muito sobre mim.

  • Muito boa a sua interpretação da musica. Sempre tive a minha própria, mas afinal, cada um tem a sua, e eu achei muito boa a iniciativa de publicarem a interpretação de uma canção tão bela, e uma das mais reverenciadas da Legião Urbana.
    Estava a procura de outras interpretações e essa acabei por visualizar esta que foi bem detalhada. Obrigada.

  • A primeira parte ,eu imaginava que fosse sobre bens materiais...Que apesar de ela estar rodeada por estátuas que supõe-se que sejam obras de arte e cofres com riquezas materiais ela era infeliz,simbolizando que o dinheiro não compra amigos e nem felicidade.Com tudo isso a sua volta ela se suicidou e assim mesmo apesar de sua dor interna,ninguém tem compaixão e ainda a julgam.Sua interpretação foi show e se eu tinha dúvida não tenho mais!Parabéns,gostaria de ver aqui música do Racionais também...As pessoas entendem as letras de forma equivocada,seria bem legal vê-las aqui.

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!